Após Correios abandonarem o CDD Grajaú, trabalhadores interrompem atividades, deflagrando uma greve ambiental

Notícia publicada dia 30/12/2016

Tamanho da fonte:

De acordo com o SINTECT-SP, os trabalhadores reivindicam melhorias no local de trabalho, limpeza, reforma do prédio, condições mínimas e adequadas para qualquer ser humano

intena_sintect_sp_cdd_grajau_paralisacao_30_12_16_1

Os trabalhadores dos CDD Grajaú aprovaram uma paralisação de 24 horas (greve de advertência de 1 dia), reivindicando melhores condições de trabalho, principalmente e no mínimo, exigência de limpeza e de água potável.

intena_sintect_sp_cdd_grajau_paralisacao_30_12_16_2A decisão da categoria foi tomada na manhã de hoje (30/12/2016), em assembleia realizada em frente ao setor de trabalho. O Sindicato, representado pelos diretores Douglas Melo, Fabrício Máximo e Luiz Ribeiro (Luizinho), encaminhou a assembleia e orientou pela aprovação da greve, tendo em vista que a empresa não vem demonstrando nenhum esforço para resolver os graves problemas da unidade e que atingem diretamente a saúde dos trabalhadores.

As principais reivindicações dos trabalhadores e Sindicato são: a limpeza imediata do imóvel, onde se encontra com mato muito alto; a instalação de mais bebedouros, pois nenhum se encontra em pleno funcionamento; reforma do prédio, tendo em vista que apenas um sanitário está funcionando, além do telhado que quando é dia de chuva a unidade vira uma cachoeira. Para se ter uma ideia, as calhas foram afastadas da parede, para impedir que enferrujassem. Mas o que foi feito pela empresa em relação aos trabalhadores para impedir que se indignassem?

Nesta paralisação, os carteiros manifestaram a insatisfação pela falta de efetivo, constantes assaltos e pela ampliação da entrega pela manhã para todos os distritos.

O Sindicato vem constantemente cobrando da empresa uma medida mais efetiva para resolver e melhorar as condições de trabalho no CDD Grajaú, que se encontra em situação caótica, chegando-se ao ponto de a Entidade Sindical ter que comprar água para que os trabalhadores pudessem beber!

A greve ambiental, assim considerada a cessação das atividades laborais em defesa do meio ambiente do trabalho sadio, se deu em razão dos seguintes problemas:

· Falta de água adequada para o consumo (potável);

· Banheiros inadequados, quebrados, vasos sanitários insuficientes;

· Terreno sujo, mato alto, verdadeira floresta;

· Animais peçonhentos (aranhas, lagartos, cobras), além de insetos;

· Prédio com infiltração. As calhas foram afastadas da parede para não enferrujarem em razão das chuvas;

· Carteiros sendo assaltados frequentemente.

Alguns representantes da ECT não concordaram com a atitude do SINTECT-SP, inclusive havendo ameaças aos trabalhadores que porventuraintena_sintect_sp_cdd_grajau_paralisacao_30_12_16_4 estivessem ajudando o Sindicato a trazer água e limpeza para o CDD Grajaú! Ao que parece, para os Correios, a saúde, a vida e a dignidade dos trabalhadores valem menos que um contrato, uma licitação ou qualquer trâmite burocrático.

O SINTECT-SP repudia qualquer atitude ou qualquer tentativa de cerceamento de exercício de qualquer direito fundamental dos trabalhadores, inclusive aqueles que atentem contra os direitos sindicais.

O Sindicato comunica que, caso a empresa não traga soluções aos problemas descritos, considerando que haverá nova assembleia em 06/01/2017, a partir das 7h, os trabalhadores poderão deflagrar nova greve, agora por tempo indeterminado, a partir das 8h.

Não vamos mais ficar esperando a empresa prometer, prometer e nada ser resolvido! Por isso fomos à greve, pois somente assim os trabalhadores são ouvidos. Parabenizamos todos os trabalhadores por terem atendido o chamado do SINTECT-SP e irem à luta em defesa de nossos interesses, direitos e pela melhoria das condições de trabalho.

Confira abaixo mais fotos da mobilização dos trabalhadores: