Fechamento de agências da CEF mostra que destruição das estatais é política de governo

Notícia publicada dia 15/05/2018

Tamanho da fonte:

Ano passado o banco do Brasil encaminhou uma reestruturação que fechou milhares de agências e complicou a vida de muitos funcionários e clientes. Agora foi a vez da Caixa Econômica Federal anunciar que vai fechar agências para, supostamente, aumentar seus lucros.

Isso mostra que os Correios não estão sozinhos. A desmontagem, o sucateamento das estatais e a entrega dos mercados a agentes privados é uma política do desgoverno Temer, que visa a privatização e o favorecimento de diversos setores empresariais.

Veja a seguir texto da Folha de São Paulo que explica o fechamento de agências e mudanças no estatuto do banco

Caixa fecha agências e vende imóveis em 2018 para perseguir lucro de R$ 9 bi

Conselho de administração já aprovou meta; medidas serão discutidas em encontro com funcionários

A Caixa aprovou uma meta de lucro para 2018 de R$ 9 bilhões, resultado que será alcançado graças a um corte de custos operacionais de R$ 2,6 bilhões. Boa parte desse enxugamento virá do fechamento de agências.

Serão encerradas as atividades de cerca de 100 agências cujas operações são consideradas insustentáveis ou aquelas que disputam clientes em endereços muito próximos.

Com isso, o banco passará a possuir 4,1 mil agências, segundo pessoas que participam das conversas.

A meta foi aprovada pelo conselho de administração da instituição, que se reuniu na última quinta-feira (10).

O QUE MUDOU COM O NOVO ESTATUTO DA CAIXA

●O conselho de administração passou a ter poder de eleger ou destituir os vice-presidentes do banco; regra anterior previa que somente o presidente da República podia fazê-lo

●Vices precisam ser aprovados pelo Banco Central

●Dois dos oito membros do conselho precisam ser independentes, ou seja, não são indicados por nenhum órgão público

●Os dirigentes da Caixa não poderão: ter parentesco com membros do conselho ou da diretoria; ter dívidas ou terem causado prejuízo ao banco; ter declarado falência; possuir cargos em empresas que sejam fornecedoras da estatal

PRESIDENTES, VICE-PRESIDENTES E MEMBROS DO CONSELHO DEVERÃO:

Ter experiência profissional em instituições financeiras ou na área em que trabalharão no banco de no mínimo dez anos…
…ou ter experiência de no mínimo quatro anos como: diretor de conselho de administração, membro de comitê de auditoria ou chefia superior em empresa do porte da Caixa, entre outros cargos listados no estatuto.

O estatuto prevê a criação de quatro novos comitês, entre eles o de Correição, que emitirá parecer sobre prevenção e apuração de irregularidades

Uma vez por ano, ocorrerá uma assembleia-geral com competência para destituir os próprios membros do conselho, decidir remuneração dos administradores e aprovar as demonstrações contábeis da Caixa.

Compartilhe agora com seus amigos