20 de março: Dia dos Correios Brasileiro

Notícia publicada dia 20/03/2021

Tamanho da fonte:

A FINDECT e os Sindicatos filiados celebram a data de criação da maior e mais essencial empresa estatal ao povo brasileiro.

A Empresa Brasileira de Correios (ECT) foi criada a 20 de março de 1969, como empresa estatal pública vinculada ao Ministério das Comunicações mediante a transformação da autarquia federal que era, então, Departamento de Correios e Telégrafos (DCT). A mudança não representou apenas uma troca de sigla, foi seguida por uma transformação profunda no modelo de gestão do setor postal brasileiro, tornando-o mais eficiente e essencial à sociedade brasileira.

Nos anos que se seguiram, vários serviços foram sendo incorporados ao portfólio dos Correios. Além dos tradicionais serviços de cartas, malotes, selos e telegramas, entre os novos serviços podem ser destacados os pertencentes à família SEDEX, serviço de encomendas expressas. Ao todo são mais de cem produtos e serviços oferecidos pela maior empregadora do Brasil (chegando a ter mais 127 mil empregados próprios), sendo a ÚNICA empresa a estar presente em todos os municípios do país, com uma vasta rede de unidades próprias. Mas que está sendo desmantelada de forma proposital pelo governo Bolsonaro.

Qual a importância dos Correios para a sociedade?

Nesse momento onde o isolamento social é uma das armas mais importantes para conter o avanço do vírus, os Correios buscam cumprir a missão que lhe é dada: conectar pessoas. Mas atualmente, essa conexão não se dá somente através das entregas de encomendas, mas também de insumos, medicamentos, dentre outras atividades relevantes em momentos como este.

A essencialidade dos Correios é tão gigantesca, que são os únicos no segmento que chega a todos os municípios desse imenso país.

Os Correios não conectam pessoas só no Brasil, conecta com o mundo. Diariamente são entregues milhares de encomendas vindas de diversos países. Por esse motivo, faz-se necessário a adoção de medidas que visem à proteção da saúde de seus empregados como dos usuários dos Correios.

São em situações como essas que se vê a necessidade de investimentos e valorização numa empresa estatal pública que presta serviço a milhões de brasileiros.

Para aqueles que defendem a privatização dos Correios, seria bom refletir sobre a coisa pública quando precisar usar o serviço público de saúde, o SUS, algo que não existe em muitos países, e a rede pública de ensino, por exemplo.

Percebe-se aí que esses serviços atuam paralelamente e até harmoniosamente com outras entidades privadas. Mas a supressão desses entes públicos seria de grande prejuízo para grande parte da população.

São em situações como essas que se percebe a sua importância. Não é necessário entregar mais um patrimônio público ao capital estrangeiro, deve-se aperfeiçoá-lo, modernizá-lo para servir melhor a sociedade.

FINDECT ressalta a importância de lutarmos e defendermos a maior Empresa Brasileira e essencial a todos!

Compartilhe agora com seus amigos