Terceirização avança na ECT e Governo Bolsonaro quer derrubar credibilidade do serviço

Notícia publicada dia 19/10/2020

Tamanho da fonte:

O atual governo e direção militar da ECT ampliam o desmonte e a destruição dos serviços dos Correios, com terceirização crescente e generalizada da entrega com MOTs e veículos nos moldes da contratação por aplicativos, sem nenhuma estrutura e apoio logístico ao trabalhador e num enorme nível de exploração do trabalho.

O país presencia ataques sem precedentes aos serviços e aos servidores públicos e estatais que exigem resistência da categoria e de todos os trabalhadores.

Os Correios estão entre as principais vítimas desse movimento destruidor, vindo de um governo de extrema-direita que age em favor das grandes corporações, desmontando a estrutura estatal para entregar o mercado postal para que elas o explorem e com ele lucrarem.

Falta de funcionários

A não reposição de vagas e corte de cargos na empresa é um problema crônico que vem desde 2011 e já causou estragos irreparáveis, principalmente na saúde dos trabalhadores dos Correios.

A ausência de concurso e contratações e os PDVs já eliminaram milhares de vagas. A defasagem de trabalhadores é hoje um empecilho grave, que nem mesmo o profissionalismo e a dedicação do atual quadro da categoria supera.

Terceirização e precarização total

O excesso de serviço avança, junto com a queda na qualidade do serviço prestado à população e a terceirização das atividades.

E agora a direção da empresa está aprofundando esse processo. Se aproveita das mudanças impostas pela reforma trabalhista e pela lei que possibilitou a terceirização total, e pratica formas de terceirização ainda mais precárias, individualizadas, com altíssimo nível superexploração e sem a mínima estrutura logística para execução do trabalho.

Sem qualidade e segurança

Isso derruba ainda mais vertiginosamente a qualidade do serviço postal, e com ela a segurança e a garantia de entregas. E já há casos de meliantes que se aproveitam da possibilidade para adentrar casas, prédios e condomínios com a desculpa de realizar entregas, para assaltar.

Uma ação destruidora de uma estatal essencial, que vai prejudicar toda a população, a integração e a segurança do país e os empregados da estatal, que estão vendo seus direitos sendo atacados e surrupiados e seus empregos ameaçados.

Há muita luta pela frente que exige organização, mobilização e participação junto com a FINDECT e Sindicatos filiados!

A Diretoria da FINDECT e Sindicatos filiados está na luta e chama todos(as) a estarem atentos a participar!

Por: FINDECT

Compartilhe agora com seus amigos