2021 será de luta e unificação

Notícia publicada dia 31/12/2020

Tamanho da fonte:

A organização e a retomada das lutas de resistência aos ataques do governo e da direção da ECT e para barrar os retrocessos e a privatização é o desafio dos ecetistas e seus Sindicatos para esse ano!

O governo Bolsonaro já mostrou que é de uma extrema direita destruidora de direitos e conquistas. Quer acabar com tudo que os trabalhadores e o povo conquistaram em suas lutas e retornar à idade da pedra.

E a direção da ECT tem um general subserviente, que segue suas diretrizes destrutivas. Assim como o Ministério da Saúde, onde Bolsonaro alocou um General inoperante, que só faz o que ele manda, nesse caso nada, a não ser mentir para a população sobre coisas como a vacina conta a COVID.

O resultado das eleições municipais de 2020 mostraram um enfraquecimento do bolsonarismo e a possibilidade da retomada da ação dos trabalhadores, em defesa dos seus direitos que vem sendo violentamente atacados.

O principal recado saído das urnas foi a necessidade de união das forças populares, progressistas, defensoras dos direitos dos trabalhadores e da população.

O mesmo vale para o movimento sindical dos Correios. Superar as diferenças, unir e lutar contra o inimigo comum, destruidor dos direitos da categoria, é a tarefa imediata colocada para todos.

Essa é uma condição para resistir ao longo do ano, combater os ataques à categoria, o desmonte e a privatização dos Correios e realizar uma Campanha Salarial forte ao ponto de impedir retrocessos e recuperar direitos surrupiados no momento mais adverso para os trabalhadores.

Por um 2021 de união e luta!

Compartilhe agora com seus amigos