Fogo em setores é resultado do abandono total da região

Notícia publicada dia 02/02/2019

Tamanho da fonte:

Na noite de 31/01/09 a UD Juquitiba se juntou à lista de vítimas que já incluem o CDD Embu e o CDD Itapecerica, todos nessa região totalmente abandonada pela GERAE remanescente da gestão anterior da ECT, que parece agir para que tudo pegue fogo, o que acabará incluindo trabalhadores!

Depois que a GERAE 04 sul passou a administrar as cidades coladas na Zona Sul, o caos se instalou. Só incêndios já são 3. Os problemas são enormes devido ao abandono da região e persistem mesmo após várias greves regionais.
O Sindicato há muito tempo denuncia esses problemas, falhas, abandono e descasos nas unidades e a negligência da direção da empresa na região. Mas ela segue sua política truculenta, baseada na diretriz de que o lucro vale tudo e os trabalhadores e o serviço à população não valem nada.

Visita técnica de denúncias antigas

Em visita aos setores em março de 2013, o presidente do SINTECT/SP Diviza, e o diretor Guiné constataram diversos problemas, denunciaram e exigiram soluções da GERAE e da direção da empresa.

As irregularidades também foram constatadas através das visitas técnicas realizadas em várias pelo Técnico de Segurança no trabalho contratado pelo Sindicato, e se encontram registradas em documentação encaminhada à empresa e aos órgãos de fiscalização.

Na UD Juquitiba, incendiada no dia 31, os dirigentes do Sindicato constataram a necessidade de mudar de prédio, pois não havia espaço físico para os trabalhadores e os objetos se acumulavam perigosamente, criando inclusive risco de incêndio. Até decisão judicial para mudança de prédio tem, resultado de processo aberto pelo Sindicato, e mesmo assim a empresa não tomou as devidas atitudes.

Já o CDD Taboão da Serra não apresenta condições para comportar uma unidade de distribuição e também tinha enorme potencial de risco de acidente com o prédio. O pessoal do CDD Itapecerica da Serra, que foi o primeiro a pegar fogo, ainda sofre por estar alocado em Santo Amaro.

À espera da tragédia

“Vivemos em constante risco. Uma tragédia pode ocorrer a qualquer momento. A direção da empresa deveria resolver os problemas estruturais e de funcionamento das unidades, garantindo condições seguras e adequadas de trabalho, mas não faz, porque tem uma gestão na região que está completamente omissa e burocratizada”, relata o diretor Guiné.

“São tragédias anunciadas, com o trabalhador sempre vulnerável nessas unidades. Já que há omissão da empresa, estamos tentando envolver o Ministério Público do Trabalho na fiscalização e na investigação. Infelizmente novos acidentes como esse podem ocorrer por conta da negligência da gestão dos Correios da região, pois várias unidades da Zona Sul estão apresentando diversos problemas e a GERAE da região pouco tem se preocupado em sanar os problemas”, disse o diretor Douglas Melo.

O Sindicato continuará denunciando os problemas nas unidades da região e tomando medidas para resguardar a saúde, a segurança e a integridade dos trabalhadores. Não queremos que um desastre venha ocorrer por omissão da direção dos Correios na região!!!

Compartilhe agora com seus amigos