Luta para barrar o fim da Aposentadoria volta ser prioridade

Notícia publicada dia 15/02/2019

Tamanho da fonte:

Centrais Sindicais convocam uma ASSEMBLEIA NACIONAL DOS TRABALHADORES para quarta-feira, 20/02, a partir das 10h, na Praça da Sé – É a retomada da luta frente ao avanço da proposta de reforma da Previdência do governo, que tudo indica será ainda pior que a de Temer!

O SINTECT-SP participou ativamente das lutas travadas no governo Temer contra a Reforma da Previdência. Apoiou e atendeu ao chamado das Centrais Sindicais, e inclusive convocou paralisação num dia nacional de lutas, no qual pararam mais de 8 mil ecetistas em sua base.
Chegou novamente a hora de chamar a unidade de todos os Trabalhadores do país em defesa da aposentadoria. E o primeiro lance dessa luta é a Assembleia Nacional contra o fim da Aposentadoria e em defesa da Previdência Pública no próximo dia 20 de fevereiro
O local escolhido pelas centrais sindicais que convocam o ato (CTB, CSB, CUT, Força Sindical, Nova Central, Intersindical, CSP-Conlutas, CGTB) é a Praça da Sé, a partir das 10h.

Luta urgente e necessária

Sabe-se que a Previdência, desde a gestão Michel Temer, vem sofrendo com sucessivos ataques. Mas, com o governo Bolsonaro-Guedes, a situação se agravou.

A minuta da proposta de reforma vazada pela mídia nos últimos dias apresenta um futuro terrível para a classe trabalhadora.

A ampliação do tempo de contribuição se soma à diminuição dos valores a serem recebidos e do teto da aposentadoria. O Ministro Paulo Guedes também defende abertamente o sistema de capitalização. Nesse modelo sem a proteção do Estado e sem contribuição dos patrões, os trabalhadores teriam de contribuir individualmente e suas “poupanças” seriam administradas por empresas privadas.

No Chile e no México, países que adotaram esse sistema, o resultado foi trágico, levando milhares de idosos à miséria.

A mobilização da classe trabalhadora começa já!

Entre as bandeiras que serão levadas para a rua no dia 20 de fevereiro está o repúdio à privatização e ao fim da Previdência Social pública, ao perdão da dívida dos devedores e às denúncias de abusos nas operações pente-fino das gestões Temer e Bolsonaro, que tem condenado trabalhadores e trabalhadoras a voltar ao trabalho sem condições clínicas adequadas.

DEFENDER A APOSENTADORIA É LUTA DE TODOS!

Os governos dizem que o Brasil não suporta os gastos com a Previdência social. Que ela gera déficit financeiro, e isso impossibilita investimentos em saúde, educação, moradia, transporte, infraestrutura etc.

É tudo mentira!

Não existe déficit da Previdência. Equilibrar as fontes de arrecadação, acabar com a sonegação e as isenções e cobrar as empresas que estão devendo ao INSS são medidas suficientes para fortalecer o sistema e garantir aposentadoria digna para todos os brasileiros.

Isso é o mínimo a que o povo trabalhador tem direito!

Os governos têm de parar de entregar mais de 50% da arrecadação do país aos bancos. De usar o dinheiro público para aumentar a fortuna de banqueiros e grandes empresários, sonegadores de impostos que se beneficiam de programas de anistia e incentivos fiscais. E parar de deixar o trabalhador na miséria, arrochando salários e tirando seus poucos direitos.

Para isso a unidade e a luta de todos os trabalhadores é necessária para defender a aposentadoria e os direitos que os governos querem eliminar.


Veja AQUI o material produzido pelas Centrais Sindicais convocando o ato do dia 20 de fevereiro.


 

Compartilhe agora com seus amigos