Na luta contra a privatização, SINTECT-SP denuncia fechamento de agências em Audiência Pública

Notícia publicada dia 26/06/2019

Tamanho da fonte:

A assembleia legislativa de São Paulo recebeu os trabalhadores dos Correios na terça, 25/09, em Audiência Pública convocada por iniciativa do Sindicato para denunciar e combater o fechamento de agências como parte do processo de privatização dos Correios.

As ameaças de privatização avançam, e com elas a resistência dos trabalhadores. Todas as formas de luta são importantes para fortalecer a defesa dos Correios públicos, do atendimento de qualidade a toda a população, dos empregos e direitos da categoria. A Audiência é uma delas, e teve grande a participação da categoria, com destaque para Atendentes.

A luta contra a privatização não tem sigla

O presidente do SINTECT-SP, Elias Diviza, abriu a Audiência parabenizando todos pela participação. Ele frisou que a defesa dos Correios não tem sigla, é unitária, e saudou os presentes de diferentes partidos, Centrais e entidades Sindicais.

Para Diviza, defender os Correios é lutar para manter direitos da população e dos trabalhadores. Segundo ele, o fechamento de agências é um crime por deixar a população carente do serviço postal, penalizar o trabalhador com mudança de cargo e de local de trabalho, e por precarizar o atendimento, arranhar a imagem dos Correios, enfraquecer a instituição e abrir espaço para a concorrência.

Nesse sentido é um lance da privatização por partes da empresa, pois adianta a entrega do serviço de entrada à iniciativa privada, através da ampliação da franquia de agências.

Leci Brandão e a defesa dos Correios na ALESP

A Deputada Leci Brandão, como sempre, participou da Audiência com a categoria. Trouxe sua solidariedade à defesa dos Correios e puxou a memória afetiva para ressaltar a importância dos Correios para todos os brasileiros.

Ela lamentou a atual situação do país. Mas se mostrou segura de que as maldades não vão durar para sempre. Isso vai ter que mudar, e nossa luta tem que ser pra isso. A defesa dos Correios é, para ela, uma das mais importantes batalhas, pois se ela ocorrer o povo e o país vão perder muito. Para fortalecer essa luta, Leci propôs a criação de uma frente contra as privatizações na Assembleia Legislativa.

Leci garantiu que tomou para si os Projetos de Lei que tramitam na Assembleia em defesa dos Correios, de seus trabalhadores, e dos diretos da população, e está empenhada em defendê-los e garantir votação. São eles:

PL 539/2017: Estabelece a entrega matutina em todo o estado.

PL 540/2017: Define limite máximo em km para o trajeto a ser percorrido pelos carteiros no Estado.

PL 541/2017: Cria medidas de segurança contra assaltos nas Agências dos Correios no Estado.

PL 561/2-17: Dispõe sobre a prestação preferencial de serviços dos Correios pelos órgãos públicos estaduais da administração direta e indireta.

Atendentes na luta

Cobrados para participar das lutas, os Atendentes responderam ao chamado do Sindicato e compareceram em bom número à Audiência. Três deles relataram os percalços causados pelo fechamento das agências em que trabalham.

A companheira Jéssica, da AC Ipiranga, lamentou a perda pelos usuários do atendimento dedicado dos trabalhadores dos Correios, pois em unidades privadas ele não existe. Para ela, privatizar é desumanizar, precarizar e, enfim, destruir a serviço de qualidade prestado pelos Correios.

A atendente Rosângela, da AC Água Branca, realçou o trabalho solidário e humano prestado pelos ecetistas. Ela vê todos atuando como se fosse para a própria família. E chamou todos os atendentes a participarem da luta, pois a privatização vai mexer no bolso, na mobilidade, no emprego de cada um.

Na mesma linha foi o companheiro Marcos, da AC Itapirai, na região de Sorocaba. Ele expressou o carinho que nutre pelos Correios e como a vida dele está entrelaçada com a empresa, depois de 20 anos de serviço. Acredita que esse sentimento está na maioria dos ecetistas e a ele se deve sua dedicação à empresa e sua disposição para defendê-la.

Todos juntos contra a privatização

Santana

Leite

Também participou da Audiência Carlos Santana, representante da ADCAP, que louvou a unidade com a FINDECT nessa luta e a importância de defender o patrimônio que é os Correios.

Já Ronaldo Leite, da direção da CTB e da SINTECT Rio de Janeiro, defendeu a luta contra a privatização como fundamental de ser travada em conjunto para ser vitoriosa. Defendeu também a criação de uma campanha unificada em todo o país e ganhar os trabalhadores da ECT e a população para a defesa dessa empresa.

 

Assista:

 

Confira abaixo mais fotos desse importante passo na Defesa de Correios Públicos:

Compartilhe agora com seus amigos