Nota de solidariedade aos funcionários públicos e trabalhadores de empresas públicas de São Paulo

Notícia publicada dia 27/10/2017

Tamanho da fonte:

Trabalhadores do Metrô e da CPTM, da Sabesp, da Eletropaulo, Servidores da Educação Pública Municipal e Estadual, saúde e demais setores estão em luta contra o governo Alckmin e suas ações que fortalecem a terceirização e a privatização dos serviços públicos essenciais à população.

Uma das ações nefastas do governo estadual foi o envio à Assembleia Legislativa do Projeto de Lei (PL) 920/17, que congela os investimentos do Estado de São Paulo em serviços públicos (saúde, educação, segurança pública, transporte público, distribuição de água e energia elétrica, etc).

Esse PL vai no sentido do sucateamento dos serviços prestados à população que deles necessita, além de provocar arrocho salarial e perda de direitos e benefícios pelos trabalhadores.

Os trabalhadores dos Correios conhecem muito bem essa realidade. Há anos enfrentam as políticas de sucateamento da empresa, o enxugamento do quadro funcionários e o aumento da quantidade de serviço para os que ficam, a terceirização crescente e a abertura para a privatização. Tudo isso aumentou muito depois que o atual governo, que têm PMDB e PSDB À frente, chegou ao poder sem votos e colocou seus aliados na direção da empresa.

Por isso a Diretoria do Sindicato dos Trabalhadores dos Correios de São Paulo declara total solidariedade aos servidores públicos e trabalhadores de empresas públicas de São Paulo, em sua luta contra o desmonte do estado promovido pelo governo Alckmin, que prejudica a população e favorece os grupos empresariais que querem a privatização desses serviços para terem novas frentes de lucro.