Governo prepara powerpoint mentiroso para forçar privatização dos Correios

Notícia publicada dia 03/08/2019

Tamanho da fonte:

Quem acredita em powerpoint? Pelo jeito muita gente, pois o governo está forjando um para convencer o povo de que a privatização dos Correios é justificável

Os brasileiros já experimentaram a força do powerpoint na famosa apresentação do procurador de Curitiba. Aquela montagem de computador em que versões viram fatos, opiniões viram informações e mentiras, verdades.

Tudo indica que ele será usado novamente para justificar o injustificável e convencer o povo de que uma versão mentirosa é verdadeira, para vender o invendável, nesse caso os Correios.

O Ministro da Economia Paulo Guedes atraiu os holofotes no dia 1º de agosto para dizer um absurdo, que os Correios são “vaca indo pro brejo”. E disse que há estudo do ministério para provar isso, que será divulgado junto com o anúncio da privatização. Estranho não? Por que não divulga logo? Ninguém com boas intenções esconderia um estudo verdadeiro.

Segundo dados divulgados na imprensa empresarial, o estudo lista 8 razões para a privatização dos Correios. Veja abaixo, seguidas das verdades que elas escondem:

1- Histórico de interferência política e corrupção.
Houve isso ou há hoje nos Correios? Se há nesse governo, é só acabar com elas. Precisa vender para resolver?

2- O brasileiro paga o pato: rombo de mais de R$11 bilhões no Postalis, o fundo de pensão dos funcionários.
O brasileiro não, alguns brasileiros estão pagando, no caso os trabalhadores dos Correios ativos e aposentados, através de descontos enormes em seus holerites, que eles não tem como evitar.

3- O brasileiro paga o pato: postal Saúde com passivo atuarial de R$3,9 bilhões.
O brasileiro não, quem paga esse pato é o trabalhador dos Correios, que está amargando aumento de coparticipação e imposição de mensalidade, e a empresa, com recursos próprios, e não do governo.

4- Sindicalização e ineficiência: greves constantes e má avaliação dos serviços pelos usuários
Greves? A direção da empresa as provoca. Como agora na data-base da categoria, oferecendo reajuste salarial de 0,8% e retirada de diretos históricos da categoria. Quer que o trabalhador aceite calado? É ditadura?
Má avaliação? Os Correios sempre foram uma das instituições melhor avaliadas pelos brasileiros, junto com o corpo de bombeiros. Mesmo com a má gestão e o sucateamento promovidos pelo governo, ele mantém a credibilidade. É só consultar as pesquisas.

5- Barreira logística para o pequeno empresário.
Isso não existe. Os Correios oferecem os melhores preços e entregam onde nenhuma outra empresa vai. É só pesquisar.

6- É agora ou nunca: o ativo se tornará um passivo invendável.
Hã? Quem acredita nisso? Os Correios têm prédios, terrenos, frota, maquinário. É só ir renovando, atualizando, normalmente, como fazem as empresas bem geridas e os governos bem intencionados.

7- Vaca indo para o brejo: mesmo com imunidade tributária de R$1,6 bi ao ano, não paga dividendos ao Tesouro desde 2014.
É inacreditável a cara lisa desse povo. No ano citado o governo levou R$ 6 bilhões dos cofres dos Correios, além dos dividendos. E não devolveu. Cadê o dinheiro?

8- Risco fiscal: R$ 21 bilhões adicionais no teto de gastos.
Apesar da rapina, da má gestão, do sucateamento, da falta de investimento, os Correios voltaram a dar lucro em 2017 e 2018, e darão ainda mais em 2019. Precisa dizer mais? É uma mentira deslavada essa ameaça de “risco fiscal”.

Mais mentiras, e mais verdades

As matérias veiculadas pela imprensa empresarial dizem ainda que, segundo o tal estudo powerpoint, “os Correios estão perdendo mercado rapidamente no segmento de e-commerce”. E que “os Correios são uma empresa que está perdendo espaço no mercado, acumulando prejuízos.”

Se isso for verdade, o problema é de gestão. Ou seja, a direção da empresa age para que isso ocorra.

Explicando: desde o governo passado, o que tem sido feito é desestruturar, sucatear, enfraquecer a empresa para criar os argumentos para privatizar, que agora Bolsonaro e Guedes estão usando.
A Direção da empresa e o governo não investem em tecnologia e equipamentos, não contratam funcionários e demitem outros milhares em PDVs, criam a entrega alternada para prejudicar a população, sobrecarregam os trabalhadores e provocam afastamentos por doenças profissionais, não investem em segurança e não combatem a violência…. Precisa explicar mais?

É ridículo, mas é assim que o governo age e a maioria da sociedade não vê, não entende e cai na mentira. A mídia empresarial ajuda, claro.

Investir, inovar e reforçar, ou sucatear?

Algo tem de ser feito para melhorar a situação e fortalecer os Correios em todos os segmentos e ampliar os lucros, garantir o direto constitucional da população à comunicação postal, preservar o papel dessa empresa importantíssima na segurança e na integração nacionais.

Mas esse governo faz o contrário. Ele enfraquece a empresa para justificar uma privatização. Faz isso porque é entreguista. Se comprometeu com o capital nacional e internacional a entregar as riquezas do país, incluindo as estatais. Por isso vai aos Estados Unidos para falar e repetir isso. Recentemente o Ministro da Economia disse aos risos, para alegrar os empresários americanos que o ouviam, que o governo Bolsonaro vai vender tudo.

Trabalhadores na luta em defesa dos Correios, sempre!

Esse governo se sustenta na mentira. Um exemplo é o que o presidente fez recentemente, ao dizer que os dados do INPE, o instituto responsável pelo monitoramento por satélite do desmatamento na Amazônia, não eram verdadeiros (só que eram) e demitir o presidente do Instituto para colocar um que sustente suas mentiras.

E talkey, parece que ninguém liga. Estarão todos anestesiados? O presidente desmerece e desacredita a ciência e a pesquisa realizada no país e ninguém faz nada!

Por que empresários nacionais ou estrangeiros iriam comprar uma estatal que não funciona, está fadada ao fracasso, é inviável? Tem algo estranho nessa equação. Por que eles não fazem uma empresa nova, sem problemas, zerinho? Não são liberais?

Os trabalhadores dos Correios e seus Sindicatos não se dobram a essa enxurrada de mentiras, a esse entreguismo criminoso do patrimônio nacional, a um governo autoritário que tem como projeto o aumento da exploração do povo, para aumentar os lucros empresariais. A luta contra a privatização sempre foi e sempre será uma prioridade do SINTECT-SP, da FINDECT e de toda a categoria!

Compartilhe agora com seus amigos