SINDICATO TOMA MEDIDAS CONTRA A SUSPENSÃO DAS ESCOLTAS E ORIENTA TRABALHADORES

Notícia publicada dia 17/05/2019

Tamanho da fonte:

A Diretoria do SINTECT-SP enviou à empresa o ofício nº 435/19, no dia 09 de maio, questionando o anúncio de suspensão da escolta armada nas regiões vulneráveis de SE/SPM, decisão que precariza mais condições de trabalho, o atendimento ao público e a saúde dos trabalhadores.

A resposta da direção da ECT foi evasiva. Apoiou-se em afirmações não comprovadas de que “promove ações conjuntas e trabalhos de inteligência com as forças de segurança pública”, e de que as estatísticas indicam diminuição dos assaltos e aumento das prisões de assaltantes.

Não é essa a percepção que a categoria tem e passa ao Sindicato. O que chega aos Diretores é o aumento constante do número de assaltos nas várias áreas de risco comprovadas na cidade.

Há inclusive locais em que o próprio setor passou a ser alvo de assaltantes, que pararam de roubar no varejo e passaram a ir direto à fonte, como o CDD Jd. Odete, que teve roubo noticiado recentemente pelo site do Sindicato.
O fim das escoltas em áreas de risco aprofunda o sucateamento e reforça a campanha do governo e setores empresariais pela privatização dos Correios. Também amplia o abandono e o desrespeito ao trabalhador, o descaso com sua saúde física e emocional, com sua segurança e com sua própria vida!

O SINTECT-SP acionou seu Departamento Jurídico para encaminhar as ações necessárias e cabíveis frente a essa decisão absurda da direção da empresa, inclusive judiciais, pelo imediato restabelecimento e ampliação das escoltas para acompanhar as entregas de encomendas em áreas de risco.

Nesse sentido, as orientações do SINTECT/SP aos trabalhadores são as seguintes:

1. Nas regiões em que os trabalhadores realizam as entregas com ESCOLTAS, se elas forem suprimidas, a orientação é para NÃO IR às ruas fazer as entregas;

2. Caso a empresa passe um termo de recusa, não responda e repasse ao Sindicato, pois nosso Departamento Jurídico auxiliará na justificativa;

3. Os casos de assédio, retaliações e punições deverão ser denunciados e relatados, pois será encaminhado ao advogado do Sindicato;

4. O jurídico do SINTECT/SP está tomando as devidas e urgentes medidas judiciais para garantir a segurança a que os trabalhadores têm direito.

“O SINTECT/SP é o único instrumento de luta, resistência e defesa da categoria e não permitirá de modo algum que a Direção da empresa deixe os trabalhadores vulneráveis nas ruas, sem a devida segurança, pondo em risco a saúde e a própria vida dos ecetistas”, afirma Rogério Bueno, vice-presidente do SINTECT/SP.

Compartilhe agora com seus amigos