SINTECT-SP participa da Marcha contra o genocídio e o racismo no Dia da Consciência Negra

Notícia publicada dia 21/11/2017

Tamanho da fonte:

O Dia Nacional da Consciência Negra foi celebrado em todo o país no dia 20 de novembro, data da morte de Zumbi dos Palmares, o maior símbolo brasileiro da resistência à escravidão.

O SINTECT-SP divulgou, convocou e participou da 14º Marcha da Consciência Negra, realizada em São Paulo, para celebrar a data e reforçar a luta contra o racismo que persiste e o genocídio do povo negro que ele gera, sobretudo da juventude que vive nas periferias e favelas da cidade.

O Secretário Geral do SINTECT-SP e Diretor da Questão racial da FINDECT, Ricardo Adriane (Peixe) participou da Marcha junto com o Secretário da Questão Racial do SINTECT-SP, Manoel Feitosa, e a companheira Silvana Azeredo, Diretora do Sindicato.

O tema da 14ª Marcha foi “Contra o Racismo e o Genocídio: Por um Projeto Político de Vida para o Povo Negro”. Para o companheiro Peixe, o tema foi oportuno porque é preciso reforçar as campanhas em favor da igualdade de direitos. “ Nosso país é extremamente desigual e racista, e para comprovar isso basta ver as estatísticas, como a divulgada esse mês pelo IBGE, que mostra uma maioria de pretos e pardos (67,3%) entre os 13 milhões de brasileiros desempregados”, afirma Peixe.

Esse dado mostra a gravidade do racismo institucional, a começar pelo mercado de trabalho. “No ano em que completam 130 anos da Abolição, os seres humanos que foram vítimas da escravidão são a maioria entre os marginalizados, sem trabalho, sem terra, sem moradia, sem escola e vítimas preferenciais da violência policial, que promove um verdadeiro genocídio do povo preto, tendo como principais vítimas os homens jovens” lembra o companheiro Manoel.

Na capital, o ato começou no vão do MASP e saiu em caminhada pela Avenida Paulista. Silvana percorreu de todo o trajeto com expectativa de “dar sua contribuição para a que esse seja um grande protesto de denúncia à sociedade da violência que sofremos todos os dias”. Para ela, a batalha por uma sociedade igualitária, justa e humanizada tem que ser diária, inclusive nos Correios, que também concentram muitas desigualdades e relegam a papéis e cargos secundários as populações negra, feminina e LGBTT.

O SINTECT-SP não reduz sua participação na luta contra o racismo à Marcha do dia 20 de novembro, e continuará promovendo o debate e ações ao longo do ano, rumo à organização dos trabalhadores e ao levantamento das reivindicações relacionadas à questão racial na categoria.

Confira abaixo mais fotos da marcha:

 

Compartilhe agora com seus amigos