SINTECT-SP realiza Plenária de Delegados Sindicais para unificar e fortalecer a luta

Notícia publicada dia 26/08/2019

Tamanho da fonte:

Mais de 150 Delegados(as) e ativistas lotaram a sede do Sindicato no sábado, 24 de agosto, para debater e organizar a luta da Campanha Salarial e contra a privatização dos Correios!

A sede do Sindicato foi palco de um momento importante para a união dos trabalhadores e trabalhadoras dos Correios na luta por um Acordo Coletivo decente e para barrar a privatização dos Correios.

A Plenária dos Trabalhadores dos Correios de São Paulo, convocada pelo Sindicato e realizada em sua sede reuniu centenas de trabalhadores representando todas regiões da cidade, Grande SP e Interior (Sorocaba e região).

Também estiveram presentes os representantes do sindicato dos Trabalhadores dos Correios do Rio de Janeiro, Ronaldão, presidente da entidade, e Ronaldo Leite, diretor do Sindicato e Secretário de Formação da CTB, além do Deputado federal Orlando Silva do PCdoB-SP.

Em sua exposição, Orlando Silva defendeu a manutenção dos Correios como empresa pública e sua importância para o país e a população, e denunciou os ataques do governo à luta e organização dos trabalhadores. E se colocou à disposição da categoria para apoiar todas as ações em defesa dos Correios.

O presidente do SINTECT-RJ, Ronaldão, analisou as dificuldades da conjuntura atual, em que o governo está atuando para destruir os direitos dos trabalhadores e as empresa públicas. Garantiu que não está impressionado nem resignado com as dificuldades, e que confia na disposição de luta dos Ecetistas de SP e do RJ para enfrentar essas essas dificuldades!

Unir, organizar e fortalecer a luta

O objetivo da plenária foi debater, fortalecer e unificar a luta dos trabalhadores para a Campanha Salarial e deliberar ações conjuntas de enfrentamento ao desmonte e privatização dos Correios.

O Presidente do SINTECT-SP e Vice-presidente da FINDECT, Elias Diviza, ressaltou o esforço do Sindicato para mobilizar os trabalhadores para a luta e agradeceu a presença dos Delegados Sindicais na Plenária.

Também realçou o esforço da Federação para que as negociações aconteçam e denunciou a omissão do governo e da direção da empresa, que praticamente se negam a negociar. E chamou os trabalhadores a estarem junto com o sindicato nessa luta.

Governo tem dificultado as negociações do ACT

Até agora, só propôs retirada de direitos e um reajuste de 0,8%, muito abaixo da inflação do período. Além disso está se esforçando para desmontar as estatais. Até anunciou 17 delas para começar o desmonte, entre elas os Correios.

A Diretoria do SINTECT-SP entende, e defendeu na plenária, que é preciso que todos os trabalhadores se unam e intensifiquem a mobilização e a luta. A defesa do Acordo Coletivo de Trabalho é mais importante que nunca, pois há muitas cláusulas importantes em jogo. Para incentivar essa mobilização o Sindicato ampliará as reuniões e visitas aos setores e o chamado à categoria para o enfrentamento.

A intenção do Governo é clara. Quer arrochar, explorar e acuar a categoria e assim ficar com o caminho livre para e sucatear a ECT e entregá-la aos interesses de empresas e organizações privadas, que enxergam os Correios apenas como um negócio lucrativo e, sem nenhum compromisso com o bom serviço de Correios prestado à população, o deixarão em segundo plano.

Retomada das negociações

A FINDECT participará na próxima terça-feira (27/08) de reunião no TST, para dar prosseguimento às negociações do Acordo Coletivo de Trabalho. O atual ACT foi prorrogado até o final do mês de agosto pelo TST, que está intermediando as tratativas de negociação das representações sindicais da categoria com o Governo e ECT.

Nessa reunião de terça-feira pode ser apresentada uma proposta conjunta, construída pelas federações. Mas é importante frisar a necessidade de prudência, responsabilidade e cumprimento do prazo acordado com TST, para então deliberar os rumos da luta da categoria.

Debates definem rumos da luta

As intervenções dos Trabalhadores presentes na Plenária sobre a campanha salarial levaram aos seguintes encaminhamentos:

• Realizar atos com panfletagem de carta aberta e esclarecimentos à população sobre a importância dos Correios em todas regiões de São Paulo e Interior;

•Intensificar a coleta de assinaturas do abaixo-assinado com meta de atingir 1 milhão de assinaturas;

•Realizar reuniões com as demais categorias envolvidas na lista de privatizações para unificar a luta;

•Realizar uma plenária intercategorias em São Paulo;

•Realizar audiências públicas nas Câmaras Municipais das cidades de São Paulo para dialogar com a população e com parlamentares.

SINTECT-SP na luta pelos direitos dos trabalhadores dos Correios!
Compartilhe agora com seus amigos