Exigimos respeito à vida do trabalhador e à verdade!

Notícia publicada dia 22/05/2020

Tamanho da fonte:

A FINDECT e Sindicatos filiados repudiam as declarações dissimuladas e enganosas do presidente dos Correios sobre o trabalho dos carteiros em meio a pandemia!

Em podcast, o general presidente dos Correios se dirigiu aos profissionais de da empresa, em especial aos carteiros, com um discurso que distorce e esconde a verdade, e por isso é grave e inaceitável!

O marketing motivacional tagarelado pelo presidente reconhece “o excepcional trabalho da categoria, em especial dos carteiros”, pelo compromisso e superação no trabalho, sem se intimidar como os obstáculos e perigos.

Sr. Presidente, os trabalhadores querem reconhecimento de que estão expostos ao perigo de morte diariamente, não porque querem, mas porque são obrigados pela direção da empresa que o sr. dirige.

Ele também diz que os ecetistas, com o trabalho essencial que executam, aproximam as pessoas e permitem a interação entre empresas e cidadãos.

Sr. Presidente, quem não é obrigado a sair às ruas e pode, está se cuidando em quarentena, preservando a saúde e a vida própria e dos familiares. Enquanto isso os trabalhadores dos Correios e outros profissionais correm riscos nas ruas para entregar as compras online que garantem os lucros das empresas, expostos à própria sorte.

O mais grave e dolorido foi ouvi-lo dizendo que entende a exposição a que os carteiros estão submetidos, nos ambientes de trabalho e nas ruas, e que a empresa “vem oferecendo recursos para eles continuarem trabalhando com segurança e proteção”.

Sr. Presidente, a empresa que o sr. dirige obrigou seus empregados a trabalharem e demorou semanas para fornecer até álcool em gel. Se recusou a entregar máscaras para o pessoal, e só o fez depois que os Sindicatos cobraram e foram à justiça. Ainda assim fornece em número insuficiente! Luva, avental e máscara de acrílico, nem pensar!

As proteções de acrílicos nos guichês das agências só começaram a ser instalados depois de denúncia dos Sindicatos no Ministério Público do Trabalho e de acordo com os advogados da empresa. Mas outros itens desse acordo não estão sendo cumprido, como o necessário afastamento do pessoal em setores onde ocorrem casos de contaminação e o fechamento do setor, com a limpeza e desinfecção adequados.

Não é todo surpreendente o discurso enganoso do presidente da empresa. Afinal, ele é oriundo e está alinhado ao governo que nega a dimensão e o perigo da pandemia, ao ponto de demitir dois ministros da saúde em meio à crise, caso único no planeta, no momento em que o Brasil se candidata ao topo nos quesitos de abandono, descaso, incompetência, números de infectados e mortos por Covid 19! Um governo que, sem nenhum escrúpulo, põe o interesse de empresários e do lucro acima da vida.

A FINDECT e Sindicatos filiados repudiam as declarações absurdas e carregadas de ideologias, direcionadas aos ecetistas, do presidente da empresa. É frustrante e desesperador constatar que a política da direção da empresa é colocar o trabalhador na linha de frente em meio à pandemia, com risco de contrair o vírus, contaminar seus familiares e morrer, sem a segurança adequada, só tomando medidas quando é obrigada pela ação sindical e judicial, e ainda ganhar um tapinha nas costas dissimulado e frio!

Por: Findect

Compartilhe agora com seus amigos