Privatização e destruição dos Correios prejudicam a população, o ecetista, empresas e empresários nacionais

Notícia publicada dia 20/08/2020

Tamanho da fonte:

Só são favorecidas as gananciosas empresas estrangeiras de comércio eletrônico e logística, como Amazon, UBER, Fedex, UPS, entre outras que estão direcionando as ações do governo e da direção da ECT rumo à extinção ou venda dos Correios trazendo prejuízo à população.

As empresas e os pequenos empresários que usam o comércio eletrônico já perceberam que ficar sem os Correios e sua modalidade de postagem mais barata, inviabilizaria seus negócios, pois as transportadoras privadas cobram muito mais caro.

As próprias transportadoras privadas nacionais, pequenas, médias e grandes, também sabem que sem os Correios não terão como concorrer com gigantes internacionais. Elas captam as entregas e, para grande parte das localidades, usam os Correios para entregar.

Essas empresas e empresários nacionais se somam à população, que sente na pele a diminuição do atendimento dos Correios.

O que a maioria das pessoas não sabe é que ela é proposital. A direção da ECT está precarizando e sucateando a empresa deliberadamente, para derrubar sua credibilidade e facilitar o processo de destruição e/ou venda.

Essa direção e o governo que representa estão colocando em prática o plano das grandes empresas multinacionais, que querem tirar os Correios do caminho para dominar o setor de logística nacional e praticar seus altos preços livremente. O que a população não sabe é que elas não atenderão a maioria dos municípios brasileiros e as periferias das grandes cidades, onde a entrega não dá lucro.

Empresas e empresários nacionais e população se unem aos trabalhadores da ECT, que vivem na pele a destruição dos Correios.

Sobre eles recai a sobrecarga de trabalho, fruto da falta concurso e de funcionários. Os resultados da falta de investimento em segurança e inovação. E agora a tentativa de roubo de seus direitos, com a destruição do Acordo Coletivo, e de seus empregos, com a terceirização e a uberização crescente.

Empresas e empresários nacionais, a população e os trabalhadores dos Correios têm motivos de sobra para estarem juntos na defesa da empresa de Correios pública, estatal, com atendimento de qualidade a todos os brasileiros e em todo o território nacional!

Sem os Correios, e só com empresas privadas atuando, esse atendimento estará restrito aos grandes centros, onde a atividade é lucrativa, e à porção mais rica da população.

Por: FINDECT

Compartilhe agora com seus amigos