SINTECT-SP foi primeiro a criar departamento de saúde com médico e técnicos de segurança

Notícia publicada dia 18/06/2018

Tamanho da fonte:

Os diagnósticos e tratamentos orientados pelo médico do trabalho e as análises e laudos dos técnicos em segurança possibilitam o cuidado com os trabalhadores que a empresa negligencia!

A ocorrência de doenças profissionais é uma verdadeira epidemia na ECT. A característica do trabalho nos Correios adoece duplamente.

Primeiro o corpo, devido ao peso carregado, às longas distâncias percorridas e aos movimentos e esforços repetitivos. Em 5 anos na ECT a capacidade da pessoa para o trabalho e sua qualidade de vida já estão comprometidas.

Em seguida a mente, devido à pressão por metas, ao excesso de tarefas e ao assédio moral e, principalmente, à violência nas ruas que aumentou muito com a ampliação da entrega de encomendas e objetos de valor e é responsável por um quadro crescente de estresse por risco de vida e pós-traumático.
Com isso, as doenças físicas e psicológicas acometem uma ampla parcela da categoria, sem que a ECT estabeleça procedimentos adequados para amenizar esta situação de desprezo pelo ser humano.

A gravidade é tanta que a grande maioria das aposentadorias nos Correios ocorre por invalidez, e não por tempo de serviço. Ou seja, os ecetistas não estão apenas vendendo sua força de trabalho para a ECT. Também doam sua saúde e seu tempo de vida saudável.

Para combater essa epidemia o SINTECT-SP criou o primeiro Departamento de Saúde de um Sindicato de trabalhadores dos Correios do país. E o estruturou com um Médico do Trabalho, o Dr. Francisco Drumond. Ele atende a categoria e faz os diagnósticos e encaminhamentos que a empresa não faz, porque quer usar o trabalhador até o extremo. Preenche as CATs (que a ECT se recusa a emitir) e orienta os tratamentos para que os trabalhadores saibam os caminhos a seguir para preservar a saúde e viver com dignidade.

Os Técnicos em Segurança no Trabalho fazem as vistorias e os laudos que a empresa também se nega a fazer. Com isso dá condições ao Sindicato e aos trabalhadores para exigir melhorias nas condições e nos ambientes de trabalho, quando elas não garantem a saúde e a segurança dos trabalhadores.

O livro Saúde e Trabalho nos Correios resulta dessa iniciativa pioneira do SINTECT-SP

Em 2014 o SINTECT-SP lançou o livro “Saúde e Trabalho nos Correios”. Ele resultou de uma ampla pesquisa realizada pelo Sindicato junto à categoria, através de seus Diretores e Delegados Sindicais, coordenada pelo Psiquiatra e Médico do Trabalho Dr. Francisco Drumond.

O livro expõe e denuncia as péssimas condições de trabalho nos Correios e suas graves consequências sobre a saúde dos trabalhadores. Os resultados são reveladores e deram base científica para a elaboração dos Projetos de Lei da Aposentadoria Especial para Carteiros e OTTs, limite da percorrida em 7 km diários e segurança nas agências (portas giratórias e vigilantes). O livro também propõe a luta pela criação de um Programa de Qualidade de Vida no Trabalho nos Correios.

Outro resultado do trabalho pioneiro do Departamento de Saúde do SINTECT-SP, exposto no livro, foi a construção de um mapa de risco do trabalho na ECT, realizado pelos próprios trabalhadores, o que é inédito no movimento sindical, uma vez que são as empresas que fazem o mapa, geralmente com dados manipulados.

No livro também estão relatados os princípios, os conceitos, as diretrizes e os procedimentos metodológicos que nortearam o trabalho coletivo de pesquisa, tabulação e escrita. O objetivo disso é explicitar os passos para a construção dessa experiência e, com isso, incentivar dirigentes e técnicos de outras categorias a desenvolver trabalhos em defesa da saúde do trabalhador.

Compartilhe agora com seus amigos